Tecendo o futuro

Não sei onde eu errei. Quem está fora de mim talvez possa identificar claramente, mas eu, eu juro que não consigo. Eu tenho tentado costurar todas as pontas que ficaram soltas ou que arrebentaram enquanto eu dormia. Dormia e sonhava… Porém, estou ficando cansada e achando que meus esforços têm sido todos em vão. Talvez eu nem estivesse errada para começar, talvez o tal erro foi algo que criei para fingir que as coisas iam dar certo, que só dependia de mim. Ilusão. E se no final tudo tivesse ocorrido independente do que eu fizesse?
Continuo bem comigo mesma, porém exausta. O cansaço me conduz à intolerância. E isso que sempre achei a tolerância a maior das virtudes… Irritadiça, vi coisas bobas e sem importância atingirem dimensões imensuráveis.
Resolvi radicalizar, cortar fora tudo o que me incomoda, mas o máximo que eu fiz até agora foi denunciar o perfil de algumas pessoas mórbidas no Facebook (eu confesso, fui bem inflexível quanto à isso) Preciso agir mais. Quero vida e pra mim vida tem que ser passeio completo.
Não quero mais esperar telefonemas, mensagens, emails, notícias boas que nunca chegam. Nem dar pedaços de mim mesma à quem nunca fará bom uso deles. Nada de discussões contra-produtivas; quero soluções. E, já que estou longe de todo mundo, eu quero ter pessoas de carne e osso para conviver, porque agora que estou mais leve e leviana também necessito muito de ter alguém que me escute, que me veja.
Sobretudo, não quero mais viver de frases feitas: eu contradigo tudo o que o senso comum me enfia goela abaixo. Quero traçar meu próprio futuro e não deixar que o mundo se decida por mim.
Eu sei que é final do ano e que estamos todos cansados.
Proponho que tracemos alguma meta, algum plano, alguma solução, ainda que efêmera para 2012. Algo que seja nosso e que nos dê ao menos um fio para nos agarrarmos quando estivermos “acostumados”.

Regina

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Tecendo o futuro

  1. Tati disse:

    Perfeito. Teceu suas lamentações mas uma forma de se livrar delas. Eu topo! Quem mais tá nessa?

  2. “Nem dar pedaços de mim mesma à quem nunca fará bom uso deles.” C’est le point.
    Seu lugarzinho está aqui, reservado…só falta você vir.

  3. Cris disse:

    Eu eu eu o/

  4. Samara Reis disse:

    O texto resumiu como me sinto hoje.
    Também quero dar pedaços de mim a quem mereça.
    bjooo Reginaa

  5. Renata Nizer disse:

    Eita Rê, seus textos sempre mostram aquela famosa insatisfação construtiva. Vamos nos apegar ao fiozinho sim, e que ele nos mantenha sempre, mesmo quando parecer prestes a desfiar inteiro.
    Beijos

  6. Vivianne disse:

    To ansiosa pra 2012 chegar e ver a Regina virar Regis… aquela que fica escondida atrás da cortina!!! Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s