Rotina é meu café da manhã

Odeio acordar cedo, para protestar levanto cantando, de manhã sou Saramago, “Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais.” Tenho pena de Pilar quando dorme aqui, para ela o dia começa bem mais tarde, por isso talvez sempre reclame ao acordar comigo. Quando deixo o prédio, já não sou José, sou Dr Assis de Moura e logo ali sou Borebi, Itaprias e Vergueiro. É justo neste momento que me lembro de bagunçar minhas idéias, de organizado já me bastam as horas. Viro futuro do pretérito, finjo ser imperativo, só para ter o dia no presente simples. Não estou surpreso em saber que sou Manoel de Barros quando entro no trem da Chácara, “Quando o mundo abandonar o meu olho. Quando o meu olho furado de beleza for esquecido pelo mundo. Que hei de fazer.”

Vamos deixar claro, não sei falar de mim, não sei e não gosto. Sou prefixo de mãe e sufixo de pai, logo me tornei um radical livre. Sou papel que esmaga tesoura, tesoura que retalha pedra, pedra que dissolve no copo d’água. Sempre sou interrompido por tio Frank berrando aos meus ouvidos, “I said that’s life (that’s life), and as funny as it may seem ,Some people get their kicks stompin’ on a dream, But I don’t let it, let it get me down, ‘cause this fine old world, it keeps spinnin’ around”.

Toda semana encho meu bolso de planos, metas, rotas e estratégias, mas logo estou demasiado cansado para esvaziá-lo, penso num novo emprego, penso em ganhar dinheiro, lembro o que quero e já esqueço, quero ganhar o mundo, não ter barreiras, quero cortar a América Latina, talvez comece pelo Uruguai, penso em Londres,  Charles Highway ri e bate palmas e diz em tom amarelo, “London is where people go in order to come back from it sadder and wiser.” Talvez Mr. Talvez.

A tarde acaba Manoel, “No fim da tarde, nossa mãe aparecia nos fundos do quintal: Meus filhos, o dia já envelheceu, entrem pra dentro.” Quando entro, sou outra vez Saramago, “Cada dia traz sua alegria e sua pena, e também sua lição proveitosa”. Boa noite Pilar.

Postado por Gil Dias  (“I may be paranoid, but not an android”)


Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Rotina é meu café da manhã

  1. Um puta texto, fantástico. Fiquei aqui, boa aberta e mãos pairando sobre o teclado.

  2. Felipe Szulc disse:

    Caraca! Sem palavras… Texto simplesmente sensacional!
    Parabéns!

  3. Lis Sayuri disse:

    Pois é Gilnanderson…

  4. Thiago Borba disse:

    Caracas meu, vc aqui do meu lado nesse final de semana e eu nem tinha visto esse texto maravilhoso para te dar os parabéns, Simplesmente FANTÁSTICO.

  5. Samara Reis disse:

    Ualllllllll…..tirando o meu ingles…entendi tudo..rs..Amigo que texto hein…boca abertaa neste momento..Parabéns!bjooo..saudades

  6. Marcelo disse:

    Gil, foda. Very foda. Minhas congratulações, bota pra fora esse eulírico aí. Hehe

  7. Cris disse:

    Tb gosto do eu lírico falando por vc. beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s