Era uma cilada

Prezados leitores. No momento em que comecei a escrever este texto me peguei olhando para a tela do computador sem saber o que digitar nessas teclas empoeiradas pelo tempo.

Mas o motivo de não saber o que escrever não era por falta de um tema ou por despreparo deste que vos escreve, mas por dois motivos.

O primeiro motivo é que tenho certeza que não encontrarei palavras tão rebuscadas e nem frases tão impactantes como as encontradas nos maravilhosos textos escritos neste blog pelos outros autores.

O segundo motivo é o que gera a ideia do título deste texto. Há muito tempo não utilizo as palavras em um texto qualquer, há muito tempo não penso em algo para escrever, há muito tempo não tenho ideias interessantes, há muito tempo não sei o que é ser jornalista, há muitos meses.

Aquilo para qual estudei quatro anos na faculdade de jornalismo e mais um ano e meio na especialização foi alojado para um canto do meu cérebro junto com aquelas memórias não utilizadas, esquecidas pelo tempo ou deixadas de lado por algum motivo.

Meu último emprego era para ser como jornalista, o que não posso dizer que não o fiz, porque durante os dois primeiros meses eu realmente agi desta forma, entretanto, durante os outros 13 meses de trabalho eu fui tudo, menos jornalistas. Eis aqui uma lista do que fui nesse tempo todo.

– Motorista

– Office-boy

– Secretário

– Telefonista

– Vendedor

– Copeiro

Após fazer tudo isso, vestir a camisa, me doar 100% ao trabalho, recebo via msn, isso mesmo, via MSN, um chamado do chefe dizendo que tinha que me mandar embora. A desculpa? Não tinha dinheiro para me pagar.

O resultado disso é uma pessoa desempregada, passando por um turbilhão de sentimentos, um canteiro de emoções, tendo que fechar dia após dia as feridas do coração com pensamentos positivos e aquela frase piegas de que “uma hora as coisas vão melhorar”, ou uma que eu adoro ouvir, “o que é teu está guardado”.

Postado por Thiago Borba.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Era uma cilada

  1. Thiago! Me sinto muito mais confortável em saber que não sou a única que não sei o que escrever!
    Por favvor, não ache que é piegas acreditar que “uma hora as coisas vão melhorar”… Se a gente deixar de acreditar a vida perde o sentido!
    Força, coragem e determinação (palavras de mãe que sempre fazem diferença)!!!
    To torcendo por vc, acredite no seu talento e na sua capacidade!!! Bjos

  2. Cris disse:

    Amigo que bom que vc não perdeu o bom humor!!!! Só de ler deu saudade de vc. Tb to torcendo e o que precisar de mim to aqui. beijo!

  3. Samara disse:

    Nossa…já escutou aquela dias melhores virão???
    ….Quando as coisas não estão da forma que imaginavamos sempre ganhamos algo: experiência…
    Tb vou torcer por vc!!! Um abraço.

  4. Borba, não que eu seja um bom exemplo, mas veja bem… eu fiquei um ano desempregada, meu avô morreu, eu não tinha amigos, entrei em depressão e engordei 10kg, além de todos os que eu já acumulava, fiz dois anos de autoescola e ainda não consegui convencer o Detran de que sei dirigir… Acredite, as coisas melhoraram. Demorou, eu aprendi a fazer artesanato pra não cortar os pulsos, não pensar o dia inteiro no meu avô e chorar sem parar, mas agora estou melhor. Emagreci 30kg (ainda faltam 17!!! :S ), tô empregada (não é o melhor emprego do mundo, mas tem sido bacana trabalhar aqui), saí da depressão, superei a falta do meu avô e aproveito mais os momentos com minha família, quando estamos juntos. Tá, o Detran ainda não se convenceu de que eu não sou uma serial killer, mas eu ainda provo isso pra ele… 😉
    Acredite, as coisas vão melhorar. Às vezes a gente precisa de tempo pra se entender…

  5. Thiago Borba disse:

    Valeu a força pessoal.
    Vivi, obrigado pelas palavras, assim como vc as achou para comentar meu texto, tb vai acha-las para fazer o seu texto.
    Cris, to com sdds d vc tb, se eu precisar, aviso mesmo, rsrs.
    Paula, sinto muito pela sua perda, tb tenho um avô q é muito importante para mim e vai ser brabo quando perde-lo. Vc tem razão, as coisas sempre demoram um pouco mas melhoram, é ter a maldita da paciencia, o que eu não tenho muito, rsrs. Que bom que as coisas melhoraram para vc, boa sorte para nós, bjoss.

  6. Lis Sayuri disse:

    é…daquelas fases tipo fim de namoro, por mais que as pessoas digam com certeza que vai passar, que é questão de tempo, e o coração não arreda. Tâmo aê Borbitcha!De longe, infelizmente, mas tâmo.

  7. Tatiana disse:

    Eeee, Borba! Saudade sua, hermano! Tudo vai dar certo. Nós todos seremos muito felizes e vamos rir disso tudo! Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s